Quem Somos   Formação   Seminários Clínicos   Serviços   Investigação   Protocolos   Biblioteca   Links   Contactos



Imprimir enviar    

Objecto

O objecto da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves - SPPB consiste na:
Um) Promoção do exercício do Aconselhamento e da Psicoterapia Breve no âmbito da intervenção na crise do indivíduo ou da família.
Dois) Investigação científica, formação técnica e promoção de actividades científicas.
Três) Realização de colóquios, cursos e seminários com fins informativos.
Quatro) Divulgação de artigos ou publicações periódicas.
 
 

História da SPPB

 
A Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves – SPPB, foi criada em Lisboa, a 18 de Julho de 1986 partindo da ideia de dois jovens médicos psiquiatras - Pedro Lau Ribeiro e Joaquim Margalho Carrilho. O intuito era formar uma cooperativa de reflexão sobre os diferentes modelos de intervenção, nomeadamente sobre os tempos de duração dessas intervenções terapêuticas, por comparação com os modelos dinâmicos clássicos, centrando as suas atenções no modelo de Psicoterapia Breve Dinâmica, de intervenção na crise, na comunidade, tal como se desenvolvia nos EUA. Deste debate interno resultou assim, uma construção teórica fundamentada na Psicoterapia Breve de inspiração psicanalítica e, um diálogo ecléctico com outras abordagens. Em sequência deste debate e por acção dos Sócios Fundadores - Pedro Lau Ribeiro, Margarida Oliveira Lau Ribeiro e Maria de Castro Ferrão - a SPPB foi constituída formal e legalmente em 1986 como Sociedade Científica. Em 1988 tinha como duplo objectivo a prestação de serviços clínicos e a formação de Técnicos. Abriu, nesse mesmo ano o primeiro Curso de Técnicos de Aconselhamento, estando criadas as condições para a promoção e o desenvolvimento da investigação e da formação contínua. É ainda em 1988 que foi publicado o primeiro número da Revista Psicoterapia Breve – Órgão Oficial da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves. Em 1989, abriu primeiro Curso de Psicoterapeutas. Em 1992, foi iniciada a ideia de expansão da Sociedade para outras zonas do país e nesse mesmo ano foi aberto em Évora o primeiro Curso de Técnicos de Aconselhamento. Em 1996 foi criado o primeiro núcleo da Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves, em Évora e em 1997, o segundo em Beja. Estas duas inovações foram acompanhadas por um investimento nas Comunidades locais do ponto de vista Científico e Cultural. 
O primeiro núcleo foi posteriormente desactivado, mantendo-se o núcleo de Beja, na área da Supervisão e Orientação do Trabalho Final. 
A partir de 1997 o próprio núcleo de Lisboa foi sofrendo alterações internas e externas, extensivas à Formação Teórica e em 1998 é lançado o livro “Psicoterapia Breve – Um Modelo Integrado” (Lau Ribeiro, P.), possibilitando assim uma confirmação significativa da Identidade no Modelo Integrado. 
 
A partir de Maio de 2008, com a reestruturação dos Órgãos Sociais, a Formação Teórica nos Cursos de Técnicos de Aconselhamento e Psicoterapeutas é reorganizada tal como actualmente. Nesse sentido, a Formação foi ao encontro das necessidades sentidas pelos diversos Técnicos nas áreas da Saúde, da Educação e no domínio do Social, que procuravam um maior conhecimento teórico e técnico, que lhes permitisse - ao nível profissional e pessoal - compreender e descodificar as situações com que se deparavam no seu trabalho com os Outros, de modo a proporcionar as ferramentas necessárias à mudança. Actualmente, a Formação na Sociedade Portuguesa de Psicoterapias Breves, de cariz teórico-prático, tem como referência o Modelo Integrado da Psicoterapia Breve, criado por Pedro Lau Ribeiro - Membro Fundador desta Instituição. Os seus Órgãos Sociais e o Conselho Científico têm primado pela implementação dos objectivos definidos aquando da sua criação.
 

Fundadores

 
Do ponto de vista formal, os elementos que constituíram a SPPB foram:  
 
 
Pedro Silvano Lau Ribeiro
Maria Margarida Oliveira Lau Ribeiro
Maria de Castro Caiado Ferrão 
António Rodrigo Pinto
Luis Filipe Canova Leão de Miranda 
João Manuel da Silva Nogueira 
Joaquim Margalho Carrilho
Mário de Jesus Augusto
Marília Isabel M. Teixeira Santos
Maria Teresa Almeida
Maria Margarida Gonzalez Cordo
Maria Luisa Macedo Oliveira Soares
Maria Elisa Jorge e Abel Ramos
Maria Cristina Nunes
Norbina Fatela